O livro é um pouco fiel ao que vem escrito na capa:  Você vai rir, vai chorar e ainda vai querer mais. Na parte de você vai querer mais  eu não fiquei querendo mais, dei algumas risadas e poderia ter chorado, mas não chorei. Pensei que valeria a pena.


A história é fofinha, bonitinha e sem energia - morno. Cheio de blá blá blá blá e na minha humilde opinião não há nada que te faça querer mais porque o final é decepcionante, (para mim foi). Não me deixou querendo ler mais. Pronto! Acabou! Fiquei convencida que a história havia acabado, quando antes mesmo de ler a palavra Fim na última página, tudo o que tinha que acontecer já havia acontecido alguns capítulos antes. E mesmo o autor ter antecipado um pouco o andamento da carruagem, qualquer um conseguiria prever o futuro dos personagens. Se a intenção do autor era surpreender, não conseguiu. 

Desculpa, posso estar sendo insensível demais, mas parecia que o único diferencial da história ali era a doença dos personagens. Isso é um fato contundente. Logo se percebe que Green queria despertar uma espécie de 'sentimentalismo tosco e superficial' nas pessoas para que elas lessem até o final com dó. Faltou um quê a mais na história. Não consigo entender o porque das pessoas terem lido e amado ao ponto de dizer: foi o melhor livro que li no ano de 2012. Eu baixei o e-book, li e não fiquei falando pra todo mundo que a história é perfeita. Dei apenas 2 estrelas no Skoob, pela arte da capa.

O livro conta a história de uma garota de 16\17 anos com câncer no pulmão. Retraída por conta da doença, Hazel (nome da garota), quase não saia de casa a não ser para um grupo de apoio que sua mãe a obrigava ir.  Não vivia sem seu cateter e carrinho de oxigênio. Para onde quer que Hazel fosse o oxigênio ia com ela: ou ela usava o cateter no nariz, ou ela poderia morrer. A realidade do livro é bem triste e cruel. Hazel não podia andar uns quilômetros que já se cansava faltando-lhe o ar. Sem medo de errar digo que isso é extremamente angustiante para quem esta lendo. O autor insiste tanto na falta de ar de Hazel,  que juro, fiquei com falta de ar também. A cada página Hazel está ofegante, cansada e com falta de ar e isso é deprimente. Fiquei com dó da personagem.

Bem no começo da história Hazel conhece um rapaz chamado Augustus (ou Gus, como era chamado por familiares) no grupo de apoio. Um ano mais velho e também com câncer. ~Para a alegria dos leitores ele não tinha câncer no pulmão, por enquanto. Convenhamos dois personagens com crises de falta de ar, ninguém conseguiria chegar até o final, principalmente se o leitor tivesse alguma espécie de problema respiratório.~ Augustus tinha um câncer chamado: osteosarcoma (Tumor maligno dos ossos que se propaga para os pulmões e nos demais órgãos). O tumor não tinha se propagado muito, mas  para se ter uma ideia da gravidade do tumor, o garoto teve que amputar uma perna.

Augustus e Hazel ficam amigos. Logo, se apaixonam. A história é baseada principalmente nisso: Dois adolescentes doentes se apaixonam. O final bem esperado acontece e o livro acaba. Esses são os pontos mais altos da história.

Por fim, não recomendo esse livro. Me parece que as pessoas preferem ler aquilo que está virando modinha. Infelizmente, porque existem livros tão bons que não são tão conhecidos assim e que deveriam ser dignos de nota. Nada acontece de muito impactante em A Culpa é das Estrelas que te faça ficar de olhos arregalados e dizer: Uaaaau. Ou talvez a culpa não tenha sido das estrelas e sim da expectativa que criei pro final para compensar toda aquela tontice de antes. rs

E é isso, minha gente! Está muito bem exposta a minha opinião. Até mais.


6 Comentários

  1. OOOOOi, que bom ter uma ideia sobre o livro, me recomendaram ele, mas não tinha ideia sobre a história. Agora vou procurar eele para ler!!!
    Bjuuuuu
    aprendendocuriosamente.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia, quero saber da sua opinião. Beijossss (:

      Excluir
  2. Olá, boa noite, muito obrigada por ter visitado o meu blog gotas de luz e amor e por ter me seguido também, agradeço muito a dica que vc deu, já alterei lá no meu blog, eu não tinha a menor idéia sobre isso, afinal eu sou um tanto leiga a respeito do assunto. O seu blog é lindo e o tema muito interessante, afinal sempre é bom ler, agrega mais conhecimento as pessoas, e nos deixa mais senssíveis. Também tenho esse blog: curumimflora.blogspot.com faça uma visitinha e dê sua opinião, é sempre bom ouvir a opinião de outras pessoas.
    Um beijo e fica com Deus. Muito sucesso com seu blog.

    ResponderExcluir
  3. Que maravilha Solange, amei seu outro blog. Já estou seguindo, rs.
    Obrigada, fica com Deus e volte sempre.

    ResponderExcluir
  4. Obrigada princesa por ter me seguido la no meu blog Saude e Bem Estar. Bom final de semana.

    ResponderExcluir
  5. Aline, acho incrível sua sensibilidade quando escreve. Fico pasma!!
    Continue assim. E sobre esse livro, nunca tive vontade de ler. Não me chamou atenççao ainda. bjus

    ResponderExcluir

Oba, vai ter comentário novo! :}}